Industria cascavelense produz Velas para todo o Brasil

Léo Fritzen

Aproximadamente 120 mil velas. Essa é a capacidade de produção diária de uma das fábricas de Cascavel. Da Cristavel, saem velas para várias regiões do Brasil e para empresas que trabalham com exportação.

O uso de velas está muito difundido atualmente. Em casamentos, velórios, homenagens, decoração, rituais religiosos e mais uma infinidade de situações, as velas se tornaram um acessório comum de ser encontrado. Acredita-se que as velas têm o poder de afastar as energias negativas, trazer harmonia, proteção e melhora financeira.

Fabricadas a partir da parafina, tem sua marcação de preços baseada nos mesmos fatores da gasolina, pois a matéria prima é um derivado do petróleo. A parafina é vendida hoje a granel, pó, barras e gel. As empresas de fabricação, costumam comprar na forma liquida(granel), para facilitar o restante do processo. A Fabricação pode levar de 10 minutos até 3 horas, dependendo do modelo a ser fabricado. Após chegar na industria, a parafina liquida é colocada em grandes tubos que aquecem e facilitam a modelação. Por meio de tubos ela é levada até as formas que possuem um sistema de refrigeração a base de água. Uma vez modelada, a refrigeração se encarrega de solidificar a parafina para que a vela esteja pronta. As velas comuns, normalmente usadas em casa quando há uma falta de luz, demoram cerca de 10 minutos para ficar pronta. As velas de 7 dias exigem um tempo médio de 1 hora para estarem finalizadas.

Opções - Para quem procura uma vela, as fábricas e lojas especializadas possuem diversas alternativas. “Há poucos dias fizemos uma remessa que foi solicita pelo exercito em forma de granada. Foi a primeira vez que tivemos um pedido tão especifico, mas gostamos do resultado e pretendemos fazer sempre novas personalizações”, comenta o proprietário da Cristalvel, Hemerson Mondini.

Hemerson explica que o consumidor dificilmente não vai achar o que procura. “Aqui temos velas em vários formatos, cores, tamanhos e para centenas de finalidades. Na verdade, se o fabricante possuir 10 mil formas diferentes, ele fabrica mais que o dobro de velas, sem que sejam iguais, porque, além da forma, você pode incrementar com algum acessório diferente”, complementa.

Mondini afirma que o dia dos namorados foi uma data excelente para a comercialização de velas, devido à diversidade. “Velas em forma de coração, outras em foram de rosa com um formato que possibilita a flutuação em banheiras. Sem contar a infinidade de aromas que hoje o mercado disponibiliza”, conta.

A gerente de compras Salete Maria, conta que receber velas artesanais de presente, é muito satisfatório. “É um presente delicado, bonito, alguns com aroma, mas que sempre chama a atenção. Em casa tenho algumas que ganhei, e uso elas como decoração de estantes e mesas de centro”, relata.

Valores a partir de R$60 são suficientes para ter em casa uma luminária feita a partir de velas. “Temos algumas redondas outras quadradas, que parecem grandes tubos, onde as pessoas colocam velas menores no interior. Alguns no mesmo estilo, em modelos diferentes, servem até como abajur”, comenta.

Influência - Astrólogos acreditam que as velas possuem forte relação com os astros e um grande poder de energização. Literaturas da área relatam que cada signo, planeta, dia da semana e objetivo possuem uma cor especifica. “As pessoas nos procuram e dizem que têm alguns objetivos e que precisam acender velas. O significado varia um pouco dependendo da crença, mas no geral, as relações de cores são semelhantes as adotadas para as roupas do ano novo”, afirma Hermerson.
Por conhecimentos gerais as velas brancas significam paz, tranqüilidade, amor, serenidade e equilíbrio. Verdes representam saúde, riqueza, tranqüilidade e objetivos materiais. Vermelhas significam paixão, amor, dinamismo e prosperidade. Amarelas, comunicação, ativa os pensamentos, prosperidade. Rosas, amor, romance, tranqüilidade, paz e serenidade. Azul, ternura, equilíbrio, serenidade e paz. As Alaranjadas representam a comunicação.

Geração de Empregos - Com a proximidade do mês de novembro, as empresas especializadas em velas começam a preparar os estoques. Finados, é a época em que as elas mais vendem produtos dessa natureza. “Vamos gerar cerca de 10 novas vagas de trabalho nos próximos meses. Precisamos manter uma boa quantidade de produtos em estoque para atender a demanda de mercado”, explica o proprietário da Cristalvel, Hemerson Mondini.
Segundo Hemerson, a empresa todos os anos oferece essa oportunidade de trabalho. “É temporário, porém, pode ser mais um oficio que o trabalhador tem a oportunidade de aprender, o que ajuda ele a no futuro conseguir um emprego”, comenta.
Para saber mais sobre velas o telefone da Cristavel é, 45 3225 12 00.


 
  .: Notícias
 
  COTIDIANO

• Cursos capacitam domésticas

• Boatos virtuais, complicações reais

CCTT realiza blitz educativa

Ronaldo o Fenômeno e Gabriel O Pensador, podem estar envolvidos em tráfico de ecstasy

Alunos Cegos serão beneficiados com livros em braile

Primeiro cão é clonado na Coréia do Sul

Industria cascavelense produz Velas para todo o Brasil

CCTT faz leilão para desafogar depósito

O Shopping Calçadão

 
  CULTURA

A diversidade marca o Festival de Cinema de Cascavel

Intercâmbio cultural traz motociclistas de Paraíba

Festival foi o primeiro passo para a futura “Cascayood”

Comitiva argentina desembarca em Cascavel

 
  ECONOMIA

Dólar cai e Bolsa sobe após entrevista do Ministro Palocci

INSS diz que última greve não trouxe prejuízos

Setor Hoteleiro de Cascavel fatura com On the Road

Economia informal não garante benefício a trabalhadores

Fome, a mais perigosa força política

Globalização: a transformação do mercado financeiro

 
 
  EDUCAÇÃO

Quase mil estudantes fazem especialização no município
 
  ESPORTE

Popó troca o Astra pelo Mitsubishi na Stock-Car
 
  MEIO AMBIENTE
 
 
  POLÍTICA
 

“Independência ou Morte” alguém lembra quem disse essa frase?

Válério é usado em prol da defesa de José Dirceu

Acadêmicos opinam sobre referendo para a proibição do comércio de armas

Israel conclui desocupação da Faixa de Gazza

Dirceu acusa para embasar defesa

Região norte da cidade quer independência

Palocci é acusado de receber propina

Referendo pode não impedir criminalidade

 
  SAÚDE

Região está prevenida para combater o vírus

Universitários comem mal

Superando os Limites

Dores da beleza

 
Melhor visualizado em 800 x 600 pixels
Ofoca © - Todos os direitos reservados - FAG -Faculdade Assis Gurgacz